sexta-feira, 18 de julho de 2008

incompreendida


Me basta saber que ainda tenho as chaves de casa. Estou ficando velha. A morte é uma promessa que cada um de nós faz ao nascer. Me distraio enquanto correm os anos. O tempo é de lua comigo: ora cheio de gentilezas, ora cheio de patadas. Desde cedo aprendi que todo céu azul está sempre sujeito a pancadas de chuva. Eu falo. Falo mas ninguém parece entender. A assimilação da língua portuguesa muitas vezes me parece inviável. É, estou ficando velha. E quando os dias não são felizes, me basta saber que sempre posso voltar pra casa, afinal, ainda tenho as chaves.

4 comentários:

O Digitador! disse...

Putz.. eh verdade, até a Dercy gonçalves morreu... :-( Agora acabou minha esperança de q existem pessoas q sao imortal!!!

PS. Obrigado pela visita q vc nunca me fez!

Jéssica R. S. disse...

Olá Deh!Minha primeira visita aqui!
Olha eu não acho que pensar em velhice seja uma boa maneira de acompanhar a vida.. a vida tem que ser digna. Tem que ser construida com Alegria.. eu peço por favor para que não me entenda mal, mas viva de uma maneira mais alegre conjunta com o amor...Claro pessoas morrem, nós iremos morrer um dia, mas por isso que temos que viver sem olhar pro futuro se não, não vivemos, ficar contando dias não é legal. Eu mesma fecho os olhos pois se não fico chorando. E EU QUERO MORRER EM CONDIÇOES MELHORES DO QUE A DÀ DERCY! beijo no coração.

Sarinha disse...

Li um livro sobre a morte
vejo agora de uma maneira diferente! é uma certeza, sei lá!
Lindo o texto
e te add no msn, viu?!
bjus

Ludi disse...

Como cantou Cássia Elles 'sem desistir nem tentar agora tanto faz, estamos indo de volta pra casa'.
Obrigada pelo comentário companheira de insanidades, gostei daqui!
beijão